PROJETO DE RESSOCIALIZAÇÃO DE APENADOS
“DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO E CONCEITO AMBIENTAL”
(título provisório)

O projeto de Ressocialização de apenados com enfoque na disseminação do conhecimento e conceito ambiental tem por objetivo que estes possam ser reintegrados à sociedade após terem cumpridos suas obrigações impostas pela justiça, com algum conhecimento básico de um tema tão atual e necessário em seus mais diversos setores. Com relação especificamente à disseminação do conhecimento ambiental, o apenado, poderá sair desta condição com um conhecimento mais amplo, e mais preparado para o mercado de trabalho.

Apesar de muitos que ali estão terem um conhecimento superficial ou até acadêmico (ensino médio e superior), o apenado, pela sua própria situação e muitas vezes, pela ociosidade em decorrência da falta de uma atividade produtiva dentro do presídio, passa a ser um indivíduo “improdutivo intelectualmente” vagando muitas vezes da razão até a insensatez, da virtude ao vício, do bem ao mal, talvez ainda, pela fala de objetivo em sua vida futura ou pela fragilidade em que se encontra, ocasionando que em muitos casos, aliado às más influências de outros apenados, uma tomada errada de decisões acerca de seu futuro pessoal e profissional.

Assim, a função deste trabalho é propor a disseminação do conhecimento ambiental, como forma de estimular os apenados a possuírem um objetivo ou até, a terem uma base de formação profissional, com a utilização de uma linguagem didática e acessível. Serão utilizadas diversas fontes, algumas científicas e outras baseadas em artigos de jornais e revistas periódicas, para a composição do texto e das muitas figuras que elucidarão cada um dos exemplos apresentados. Ainda, para que este trabalho seja fonte de consulta nos mais diversos escalões hierárquicos, as aulas (quinzenais e com duração de até duas horas), serão disponibilizadas com 72 horas de antecedência e posteriormente, inseridas em site específico ao Projeto.

Ao término de cada período (ano letivo), o apenado receberia um Certificado de Conclusão e aproveitamento, com as respectivas avaliações e este, poderia apresentar este Certificado emitido pelo ITAPAR juntamente com o CONSEG-BATEL – Conselho Comunitário de Segurança do Bairro do Batel, Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania e da Secretaria de Estado da Segurança Pública, ajudando-o a se reintegrar à sociedade e ao mercado de trabalho ou ainda, até servindo como fator para contribuir com a possibilidade de redução de sua permanência no presídio (redução gradual da pena).

Sobre o projeto

O trabalho/projeto ora apresentado (que a princípio a nossa sugestão é que tenha um ano, com aulas quinzenais e com duração de até duas horas), de iniciativa do Autor (com o apoio do ITAPAR – Instituto Tecnológico e Ambiental do Paraná, CONSEG-BATEL – Conselho Comunitário de Segurança do Bairro do Batel, da Loja Maçônica Bondade e Justiça) sempre se apoiando em livros, artigos científicos, entrevistas, jornais, periódicos diversos (Veja, Isto É, Exame, etc.), tratará dos seguintes temas:
§
         Aquecimento Global;
§
         Efeito estufa;
§
         Protocolo de Kioto;
§
         Convenções Mundiais sobre mudanças climáticas
§
         IPCC/UFNCCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas / Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudança do Clima); 
§
         História da evolução do pensamento e do conceito ambiental no mundo;
§
         Créditos de Carbono
§
         MDL – Mecanismos de Desenvolvimento Limpo;
§
         Desenvolvimento Sustentável e Conceito de Sustentabilidade;
§
         Responsabilidade Ambiental
§
         Estudos de casos
§
         Seminários
§
         Palestrante(s)
 

A previsão de início deste trabalho/projeto, depende exclusivamente da autorização dos órgãos competentes. O trabalho deste proponente é voluntário, concordando totalmente que nenhuma remuneração será efetuada, assinando para isto, qualquer documento necessário. As apostilas e demais materiais utilizados, bem como transporte e alimentação (do Instrutor/Palestrante/Convidados), seria também por conta do proponente/patrocinadores.

Em contrapartida a unidade penitenciária escolhida e destacada pelo Órgão Estadual competente, seria responsável pela seleção dos “alunos” bem como do local a ser utilizado e com a correlata segurança do proponente.